domingo, 29 de maio de 2016

Meu reino não é deste mundo - entendimento

                         Uma realeza terrena – trecho
“E que humilhação, quando, em vez de ser ali recebida como soberana, tive de ver acima de mim, mas muito acima, homens que eu considerava pequeninos e os desprezava, por não terem nas veias um sangue nobre! Oh, só então compreendi a fatuidade dos homens e das grandezas que tão avidamente buscamos sobre a Terra!”
“Oh, Jesus! Disseste que teu reino não era deste mundo, porque é necessário sofrer para chegar ao Céu, e os degraus do trono não levam até lá. São os caminhos mais penosos da vida os que conduzem a ele. Procurai, pois o caminho através de espinhos e abrolhos e não por entre as flores!”

           Meu entendimento sobre o capitulo:

Poderíamos dizer também que nossa felicidade não é desse mundo, nossa vida não é desse mundo, a única coisa que talvez pertença a terra é o nosso corpo físico, não mais que isso. É claro que todos nos almejamos chegar ao “paraíso”, ao jardim do Éden, ao reino de Deus, ao lado do seu trono, mas para tanto existe pequenos “sacrifícios” a serem feitos, “sacrifícios esses que são tão simples, mas tão difíceis de ser cumprido, deixar o orgulho de lado, amar ao próximo, fazer caridade, ser honesto, mas porque é tão difícil cumprir essas metas”? Porque somos humanos, somos limitados, somo egoístas por natureza, mas mesmo assim queremos entrar no reino dos céus. Certa vez ajudei um homem na rua que estava tento um ataque de epilepsia, eu e um brigadiano fora de serviço fomos s únicos a ajudar aquele irmão, pois os outros estavam preocupados em não contrair a doença, mesmo que a doença não seja contagiosa. Porque o ser humano primeiro pensa nele, depois se nada der errado, ele pensa no seu semelhante. “Meu reino não é desse mundo” disse Jesus a Pilatos, porque sabia o mestre, que ela estava aqui para praticar a bondade, para ensinar, para fazer sacrifícios sendo crucificado, pois sabia ele que o reino maior estava em seu coração, em suas ações. Vamos conquistar nosso reino com nossa alma voluntariosa, vamos nos “sacrificar” fazendo boas ações e não nos preocupemos com o Jardim do Éden, pois ele sempre estará lá nos esperando, a pressa é só nossa em conquista-la, com atitude, com benevolência e com muita humildade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário