sábado, 4 de outubro de 2014

Quarenta e cinco

Parece incrível que até ontem eu era uma criança, tinha a minha mãe, mulher guerreira e trabalhadora que me criava lavando roupa pra fora, tinha o meu pai, que até os doze anos, me fazia vê-lo com um herói e tinha meu irmão mais velho que eu admirava com um profundo orgulho.
Parece incrível que até ontem eu era uma criança solitária, não tinha brinquedos, tinha meus pais separados e meu irmão distante, tinha fome, tinha medo, tinha vergonha, tinha medo do futuro e principalmente, tinha muita raiva do mundo.
Parece incrível que até ontem eu era um adolescente problema, com drogas, com  álcool, era agressivo, intolerante, era triste e depressivo, não acreditava no futuro, no amor, na amizade e infelizmente em Deus.
Parece incrível que até ontem eu era um jovem sem futuro, sem família, um nômade sem rumo, um pária da sociedade que culpava tudo e todos, que não sabia suscitar a palavra amor.
Mas o mais incrível é que hoje estou aqui, um homem de 45 anos, vivo, feliz, sem vícios destrutivos de família, bem, na verdade ainda fumo cigarro, mas sem álcool, drogas ou qualquer barbitúrico, formei uma familia linda, com uma esposa batalhadora e uma filha linda e minha amiga, reconquistei amizades do passado e conquistei amizades no presente, mas o principal de tudo isso, aprendi a ter Deus em meu coração e somente ele ampara as minha lágrimas e me da forças para viver. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário